O tema discutido é a tortura, a partir da novela homônima de Luiz Roberto Salinas Fortes, que foi professor do Departamento de Filosofia da USP: o espetáculo busca a compreensão das forças em jogo e do quanto, de maneira desproporcional, a luta política no Brasil durante a ditadura ganhou seus contornos trágicos, apesar do esquecimento institucional que define a fisionomia atual deste país.

 

Os atores em cena assumem perspectivas distintas sobre o material, produzindo novos depoimentos: suas vozes dando corpo a uma fala.  Ou, se quisermos, uma espécie de “autópsia de um corpo ausente”.

"Assim também, entre aquelas quatro paredes encardidas da sala minúscula, a cada fisgada elétrica vai-se tecendo a argumentação virulenta cuja eficácia faz desabar as ilusões que ainda nutríamos sobre a realidade nacional; a socrática representação desmorona, as entranhas do regime se entremostram, pulverizando os malabarismos ideológicos dominantes. Os herdeiros de Trasímaco, filósofos de um novo tipo, fazem funcionar, de maneira até então insuspeitada pela nossa ingenuidade, apesar dos compêndios marxistas devorados, os torpes mecanismos do poder…"

SALINAS, Luiz Roberto

Texto

Luiz Roberto Salinas Fortes

Concepção, Espaço Cênico, Dramaturgia e Direção Geral

José Fernando de Azevedo

Atores

Ana Elisa Mello

Klarah Lobato

Renan Tenca Trindade

Teth Maiello

Vitor Placca

 

MAIS...

RETRATO

CALADO

 

VÍDEO